Oncoclínicas (ONCO3) solicita registro de IPO oncoclínicas Oncoclínicas (ONCO3) solicita registro de IPO Oncoclinica IPO

Oncoclínicas (ONCO3) solicita registro de IPO

A Oncoclínicas (ONCO3), rede médica especializada no tratamento de câncer, protocolou nesta terça-feira (8) registro para realização de oferta pública inicial de ações (IPO).

No prospecto preliminar, a empresa informou que a operação contará com tranche primária – quando novas ações são emitidas e os recursos vão para o caixa da empresa, e secundária – quando atuais acionistas vendem participação.

De acordo com reportagem do Valor, a Oncoclínicas (ONCO3) planeja captar mais de 5 bilhões em seu IPO.

Para participar da oferta de varejo, é preciso investir no mínimo R$ 3 mil nas ações e no máximo R$ 1 milhão.

A faixa indicativa de preço do IPO está situada entre R$ 22,21 e R$ 30,29.

Com base no número de ações da oferta e o meio da faixa, de R$ 26,25, o IPO da Oncoclínicas (ONCO3) pode movimentar aproximadamente R$ 3,5 bilhões.

A precificação das ações ocorre no dia 06 de agosto. Já o início das negociações das ações na B3 (B3SA3) acontece no dia 10 de agosto.

Os recursos captados na tranche primária serão destinados para:

  • expansão orgânica, por meio de projetos de investimento;
  • expansão inorgânica, por meio da aquisições futuras, bem como aquisições que já estão em andamento; e
  • recursos para capital de giro.

Na oferta secundária, os acionistas vendedores são os fundos Josephina II, com participação de 72,5%, Josephina, com 21% e Bruno Lemos Ferrari (3,65%).

IPO é coordenado pelo Itaú BBA, Santander, Citi, UBS-BB, Goldman Sachs e JP Morgan.

Confira o prospecto na íntegra aqui.

Resultados da Oncoclínicas (ONCO3) no 1T21

O lucro líquido da Oncoclínicas (ONCO3) foi de R$ 6,5 milhões no primeiro trimestre de 2021, revertendo prejuízo de R$ 20,3 milhões do mesmo período de 2020.

A receita líquida atingiu R$ 614,5 nos três primeiros meses do ano, contra R$ 453,3 milhões de igual etapa do ano passado.

O Ebitda ajustado somou R$ 106,5 milhões entre janeiro e março deste ano, ante R$ 49,2 milhões do mesmo trimestre de 2020.

A margem Ebitda ajustada foi de 17,3% no 1T21, crescimento de 6,5 pontos percentuais na comparação anual.

O endividamento líquido da Oncoclínicas (ONCO3) era de R$ 661,3 milhões em março de 2021, aumento de 71% em relação ao mesmo trimestre de 2020.

Perfil da companhia

A Oncoclínicas (ONCO3) foi fundado em 2010 e está presente em 12 estados brasileiros.

Segundo o prospecto, a rede médica é a líder no mercado brasileiro de oncologia clínica privada.

A companhia busca liderar a transformação do tratamento oncológico no Brasil por meio do foco na visão holística do paciente, buscando garantir a melhor experiência de tratamento individualizado e multidisciplinar em uma cadeia oncológica integrada, desde a prevenção, passando pelo diagnóstico e tratamentos específicos, até os cuidados continuados.

Hoje, a Oncoclínicas (ONCO3) tem mais de 70 unidades, que contam com especialistas nas áreas de oncologia, radioterapia, hematologia e transplante de medula óssea, cuidados complementares e assistência integrada.

Leia Mais

Confira mais notícias sobre os próximos IPOs de 2021

IPO Clear Sale