Tópico Locações de Galpões e Equipamentos pede IPO tópico Tópico Locações de Galpões e Equipamentos pede IPO topico locacoes ipo

Tópico Locações de Galpões e Equipamentos pede IPO

A Tópico Locações de Galpões e Equipamentos para indústria protocolou nesta segunda-feira (7) pedido de oferta pública inicial de ações (IPO).

No prospecto preliminar, a empresa informou que a operação terá com tranche primária – quando novas ações são emitidas e os recursos vão para o caixa da empresa, e secundária – quando atuais acionistas vendem participação.

Para participar da oferta de varejo, é preciso investir no mínimo R$ 3 mil nas ações e no máximo R$ 1 milhão.

Os recursos captados na tranche primária serão direcionados para fortalecimento da capacidade financeira e aquisições para crescimento inorgânico.

Na oferta secundária, os acionistas vendedores são SCG IV Holding, com 70% da ações da empresa, Ricardo Vantini, com 29,30%, Odair Benedito L. da Silva (0,35%) e Francisco Mesquita Neto (0,35%).

IPO é coordenado pelo Itaú BBA, Bank of America Merrill Lynch, Santander e  XP.

Confira o prospecto na íntegra aqui.

Perfil da Tópicos Locações

Com mais de 40 anos de história, a Tópico Locações de Galpões é líder no segmento de locação de infraestruturas flexíveis no Brasil.

A empresa oferece soluções de armazenagem altamente competitivas, ágeis, modulares e customizadas a mais de 750 clientes espalhados por todo o território nacional.

A fábrica e o principal centro de distribuição da Tópico Locações estão localizados em Embu das Artes, cidade situada a aproximadamente 30 km da capital paulista.

Com o crescimento do grupo nos últimos anos, a empresa passou a contar também com filiais e postos avançados de atendimento em todas as regiões do Brasil, possibilitando o atendimento mais próximo e ágil a sua base de clientes em todo país.

Indicadores financeiros

A Tópico Locações de Galpões registrou R$ 6,1 milhões nos três primeiro meses de 2021, contra R$ 4,4 milhões do mesmo período do ano passado.

O lucro bruto somou R$ 15,3 milhões no primeiro trimestre de 2021, ante R$ 13,1 milhões de igual etapa de 2020.

Já margem bruta foi de 44% entre janeiro e março deste ano, alta de 5 pontos percentuais na base anual.

A receita líquida totalizou R$ 34,5 milhões nos três primeiros meses de 2021, ante R$ 33,3 milhões no mesmo período de 2020.

O Ebitda atingiu R$ 16,6 milhões no 1T21, contra R$ 16,7 milhões de igual etapa de 2020.

Leia Mais

Confira mais notícias sobre os próximos IPOs